Tempo de Trevas- O inicio

Ir em baixo

Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Unite em Sex Jun 11, 2010 11:53 am

TEMPO DE TREVAS:
CAPITULO 1

Estava chovendo muito forte, os Deuses não estavam contentes com os pobres mortais, aqueles ventos pareciam gritos de dor, as janelas batiam fortemente.
E em uma pequena casa de Alberta um pequeno garoto chorava a perca de seus pais, suas lagrimas escorriam pelo seu rosto até tocarem o corpo pálido e frio de sua mãe, seus olhos azuis refletiam a dor que sentia deitado sobre o corpo frio e sem vida de seus pais, ele experimentaria pela primeira vez o sentimento de vingança e sem saber a partir daquele momento nasceria um novo Unite...

5 anos depois...

Era 20 de fevereiro de 1300, Unite completava seus 10 anos. Mais diferente dos outras crianças Unite não estava indo para o campo de treinamento, e isso o deixava incomodado, pois assim ele jamais vingaria a morte de seus pais.
Mais Unite estava disposto a entrar naquele maldito barco, e ir parar naquela ilha, mesmo que para isso, ele tivesse que roubar, ou entrar escondido. Bem, então foi isso que Unite decidiu, irá escondido!
Suas primeiras tentativas, não foram às melhores, tanto que tentar se esconder atrás de um poste não era a melhor forma, e a partir do momento que Unite foi visto pela primeira vez, suas próximas tentativas foram sendo mais complicadas.
Até que após mais uma tentativa fracassada, Unite é espancado pelos marinheiros, e jogado a chutes do barco, e isso não agrado nada a sacerdotisa que passava por lá e revoltada com tal brutalidade, ela foi em direção do jovem menino que estava sangrando, ergueu sua mão direita ao céu e com a direita segurava uma espécie de livro que mais parecia uma bíblia, e murmurou uma palavra que aprecia ser CURAR, e rapidamente desceu a mão apontando para Unite, e uma fumaça verde começou a sair de suas feridas, e então se fecharam...
- Mas que droga foi essa?!- pergunta Unite impressionado
-Mas que palavras são essa doce menino?
-Ma, ma, mais, como você fez, eu quero aprender!-gaguejou Unite
-Minha cara criança, qualquer um pode usar os poderes de Deus para o bem, mas para isso, precisa- se ter a alma e mente limpa.
-E isso eu posso comprar onde?-perguntou Unite, muito empolgado coma idéia.
-HAHAHA, inocente criança, alma e mente não se compra você deve excluir todo e qualquer mal por si só, e isso nunca ninguém poderá fazer por você, mas para iniciar sua jornada de auto-purificação deve- se ir a ilha dos aprendizes e lá receber um treinamento
-Ah mais disso eu sei, só que sabe, errr, quando eu tinha 5 anos, eu estava dormindo e então ouvi um barulho, e fui ver o que era, e então quando cheguei no quarto- então Unite deixa algumas lagrimas escorrem pelo seu rosto, e cairem no chão, mais ao ver aquilo a bela sacerdotisa, passa seus delicados dedos no rosto de Unite para enxugar as lagrimas.
-Oh minha criança, não vamos mais falar sobre isso, eu irei te ajudar no que poder bem me siga.
E então aquela bela sacerdotisa se levanta, e joga seus lindos e belos cabelos loiros para traz, segura as mãos de Unite, e o levanta.






Iniciando sua jornada



A sacerdotisa novamente pega sua bíblia e uma gema azul, coloca a gema no chão, e Le algumas palavras e então grita:
-Abrir portal
E então um circulo meio que rosa aparece sobre o chão, Unite espantado então pergunta:
- O que é isso?
-Ah, isso é um portal, que nos levará até Prontera, pode pisar nele, que você aparecerá diretamente em Prontera, e então eu irei em seguida...
E então feito isso em um passe de mágica, quer dizer com os poderes divinos daquela sacerdotisa, Unite estava em Prontera, mas ainda meio desnorteado, Unite não conseguia ver nada, pois aquele foi a primeira vez que ele usou um portal, mas quando recuperou a sua visão viu a sacerdotisa muito na frente, correu para alcançá-la mas estava difícil acompanhar aquela sacerdotisa para Unite, aquelas ruas de prontera, são muito movimentadas, era tanto barulho que aquele jovem menino mal podia ouvir seus pensamentos
-Olha ração para seu pet, compre uma e pague duas, também temos cartas, aproximem- se.
- Aqueles comerciantes não sabem falar mais baixo!- pensou Unite.
-Ei criança venha, não fique ai parado, o navio parte amanhã, ainda temos muito que resolver- gritou a sacerdotisa muito longe de Unite.
Unite então balançou a cabeça para espantar seus pensamentos e voltou a andar, ate que chegaram ao centro de prontera, e entraram em uma loja, lá fedia a mofo, tinha muitos papeis amontoado, como alguém se organizava daquela forma.
-Ei me esqueci de perguntar, qual seu nome?-disse a bela sacerdotisa
-Meu nome é Unite , Unite Yonoshiro
-Tá bem fique aqui e me espere ok?
-Tá.
Então Unite se sentou em um baquinho e começou a brincar com alguns papeis, eles fediam e estavam sujos, e quando estava foliando, alguns caíram no chão, assustado Unite olhou rapidamente para os lados para ver se tinha alguém, mas felizmente a sala estava vazia, Unite então se abaixou para pegar aqueles papeis, e viu um livro, parecia ser estranho, tenho como titulo: “Tempo das trevas”. Unite não se agüentava de curiosidade, abriu o livro rapidamente, e começou a ler, até que uma imagem lhe chamou a atenção, era legendada como Cavaleiro Negro, aquilo lhe trousse péssimas lembranças.


O flash back


Na cidade de Alberta estava chovendo muito forte, os Deuses não estavam contentes com os pobres mortais, aqueles ventos pareciam gritos de dor, as janelas batiam fortemente.
Os Deuses tinha razão para estarem bravos, naquela cidade o que reinava era o puro e simples egoísmo, ninguém conseguia pensar no próximo, ali o dinheiro valia mais que o amor e quem não tivesse dinheiro não era gente, era isso que os mercadores pensavam e era isso que eles passavam para seus filhos.
Mas isso era diferente para uma família, a família de Unite, eles sempre estavam próximo um do outro, Kitty era a mãe de Unite, ela era uma suma-sacerdotiza muito linda, seus cabelos eram longos e brancos, brancos devido ao seu poder divino, mais seus olhos azuis eram de perfeitos, dez que nasceu os carregava. Já o pai de Unite se chamava Angow, ele era um criador, muito famoso, estava quase todo tempo em seu laboratório criando novas coisas. E também tinha o kek, era a humunculo de Angow, era praticamente uma filha, era uma lif, sempre estava cuidando de Unite.
Mas Unite não sabia que ele ganharia um irmão ou uma irmãzinha, seria a típica família feliz, até que um dia.
-Mamãe, me deixa dormir na sua cama, estou com muito medo dos trovões - perguntava Unite aos seus pais, muito apavorado.
-Meu bebe, você não acha que está grandinho para dormir no seu próprio quarto?Mas está certo, vamos fazer assim, mamãe vai até seu quarto e canta uma musica até você dormir ta bem?
Unite fechou os olhos e balançou a cabeça com afirmação, então sua mãe segurou sua mão e o levou até seu quarto, colocando- o na cama, cobrindo ele, como se fosse realmente um bebe, e então começou a cantar, sua voz era como pequenos sinos, realmente agradável, faze ria dormir ate um zumbi, e continuou a cantar até que Unite conseguisse dormir...

Um verdadeiro príncipe:

Agora Unite estava em seu mundo, o mundo dos sonhos, onde qualquer um tem direito de entrar, basta ter bons pensamentos, e nesse mundo ele era o que quisesse ser, mais ele não sabia que esses seriam seus últimos bons pensamentos.

-Mestre, mestre- chegava um poring gritando para Unite
-Sim caro poring diga- respondia o príncipe de porinlandia
-Os marings estão atacando, já quebraram nossas barreiras, e não sabemos quanto mais os lunáticos agüentarão.
-Mande já os angelings atacarem, liberem todos os angelings, rápido, rápido- respondia eufórico Unite.


-Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh

O sonho vira pesadelo:

Unite levanta da cama assustado, corre até de onde veio o grito, era do quarto de seus pais, a porta estava, entre aberta , e por aquela brechinha, ele pode ver, sua mãe estava entrando em trabalho de parto , mas quando viram Unite, Kek correu para fechar a porta, Unite estava muito ansioso queria ver seu irmão, por que fecharam aporta, isso o deixou muito chateado, mas logo em seguida ele ouviu um choro, será que era sua irmã ou seu irmão, mas tudo ficou quieto, isso não era normal, e logo em seguida Unite ouviu uma janela se quebrando.
Ele abr e aporta, e vê um homem negro, montado em um cavalo que também era negro, ele quase deu um berro, mas kik colocou a mão em sua boca, impedindo que ele gritasse.
-Entre no guarda rolpa, já- Disse Kek a ele
-Unite afirmou coma cabeça e entrou no guarda rolpa, so que aquele guarda rolpa tinha algumas frestas que permitia Unite ver tudo que acontecia.
-Amor prepare um exorcismo rapidoo- Gritou o pai de Unite
-SIM, MAS SO TENHO 1 GEMA, NÃO PODE FALHAR
-TÁ BEM, RAPIDO, KEK CUIDE DO BEBE
E então Kitty começa a organizar o exorcismo, enquanto Angow fazia um circulo de fogo grego, impedindo que o Cavaleiro atacasse só que então as poções acabaram, dando a oportunidade daquela figura das trevas atacar, e com um único ataque a espada, atravessou o peito de Angow, matando na hora, Kitty correu até ele, aprando o exorcismo, tentou curá-lo, mas era tarde de mais, Angow tinha morrido, e a única gema que kitty tinha, já havia sido usada, ela abraçou seu marido, deixando alguma slagrimas cair sobre o ferimento e disse, me perdoa.
Logo em seguida o cavaleiro, vê o bebe, caminha em direção a ele, e quando via tocalo, kek
- Tire suas patas imundas dele, agora!
O cavaleiro balança a cabeça em negação, saga sua espada, e corta a cabeça da pobre humunculo.

Unite deixa escapar algum soluços, ele estava vendo seus pais, sua família, morrer em sua frente não podia fazer nada, isso era ridículo, mas ele era fraco, se saísse morreria, ele estava com medo, o medo não o deixava se mecher.

O cavaleiro pega o bebe, e sai pela janela...

-Unite vamos?- Disse a sacerdotisa
Unite balança sua cabeça, espantando aquelas lembranças, e voltando para o mundo real
-Sim vamos?
-Você está chorando- Perguntou a sacerdotisa
-NÃO, é esse pó....
-Então está certo acabamos por aqui, vamos embora...



Uma nova Jornada




-Bom Unite, já terminou por aqui- Exclamou a sacerdotisa
-Terminamos o que?
-Ah me desculpe, esqueci de explicar.
Bom, nos viemos até aqui para que você possa ir até a ilha dos aprendizes. - Explicou a bela sacerdotisa.
- Como assim, para eu ir a onde?
-Como já te disse, para poder usar os poderes divinos tais como, cura, agilidade, benção e entre outros, não é necessário apenas purificar sua alma, mas também passar por um treinamento, até que você seja aprovado, para ai então virar um noviço.
- Como assim noviço?- Perguntou Unite levantando uma de suas sobrancelhas.
-Noviço é a classe na qual você pode; como posso te explicar- A sacerdotisa parou por um momento procurando uma explicação- Saber se você quer ser um sacerdote, ou um monge- Retomou a explicação.
- Ah monge, uma vez conheci um que estava em Alberta, ele me deu um pouco de comida, e também um tinha um bichinho muito fofo. Sabe quando eu era menor me lembro de ter tido um bichinho, mais não era um bichinho qualquer, era uma lif, criação do meu papai, ela se chamava Kek, ela cuidava muito te mim, só que ela também morreu junto com meus pais- Unite colocou a mão na testa e então abriu um sorriso, e voltou a falar- E é exatamente por isso que quero mi tornar forte, e acabar com todo mal, para que ninguém sofra o que eu sofri.

A bela sacerdotisa abriu um sorriso e sabia que aquela criança não era uma criança qualquer, que só sua determinação assustaria qualquer um.

-Bom está certo, e eu estou aqui para isso, te ajudar a ser forte, mas está ficando tarde, estamos conversando muito e agindo pouco, ainda temos que comprar seu uniforme, ande vamos- Então ela pegou na mão de Unite e o levou até a saído.
- Ei, já sou bem grandinho, não precisa me pegar pela mão, naum!- Exclamou Unite.
- Tá, mais você é meu namorado e tem que me acompanhar- Disse a sacerdotisa com um enorme sorriso, e em seguida deu um beijo na testa do pequeno Unite.

Unite ficou vermelho na hora, imagine ele namorando aquele anjo, sendo que tem apenas 10 anos...

-Pronto Unite, chegamos, vai comprar logo seu uniforme, que já são quase oito horas da noite.

Então Unite começou a passar a mão nas prateleiras procurando algo que fosse de seu tamanho, até que achou um, o pegou e mostrou para a vendedora.

-Hmmm, você não axa que vai provas isto, fedido imundo do jeito que está não é mesmo!?- Disse a vendedora quase que gritando.

Unite envergonhado baixo a cabeça e respondeu:

Não senhora.

-Ei, por que é que você está falando com ele desta forma- Perguntou nervosa a sacerdotisa.
-Olhe como este mendigo está, nem sei como ele entrou em minha loja saia já!
- Ele não vai sair daqui coisa nenhuma, e olhe como fala com ele, em primeiro lugar nos iremos pagar, e em segundo lugar nada lhe da o direito de chamá-lo de mendigo, por que aqui todos são iguais.
-HAHAHAHA, o que nos torna iguais, o mesmo ar que respiramos- disse a vendedora com sarcasmo.
-Não, somos todos iguais, somos todos filhos do mesmo pai, os Deuses nos fizeram da mesma forma.
-Ah, então agora temos uma revolucionário!?
-Não apenas uma serva divina, e ande, me de este uniforme aqui está o dinheiro- Então ela pegou o uniforme, e largo o dinheiro em cima do balcão, pegou na mão do Unite, e o puxou rapidamente até a saída.
-Sabe Unite, são essas pessoas que me tiram do serio, sempre se achando melhor que todas, sendo que não passam de uma, de uma, errr- gaguejou ela- de uma- sem achar alguma palavra soltou um berro.
-Calma, eu não me importo mais, já me acostumei.

Então ainda muito zangada, ela e o jovem menino continuaram andar pelas ruas de Prontera, até que ela parou e disse.

-Olhe vamos ir para aquela pousada, passaremos a noite lá, e bem cedo partiremos para Alberta.
-Está bem.

E então, eles entraram, estava tão quentinho lá dentro; bem diferente do lado de fora, lá dentro dava para pelo menos sentir os dedos.

-Unite, sente- se enquanto eu vou pegar um quarto- Disse a sacerdotisa

Unite então balançou a cabeça, em sinal de afirmação, logo em seguida se aconchegou em um banquinho perto da lareira, e olhou fixamente para o fogo, aquilo era tão selvagem, ia de um lado para o outro, Unite sentia uma vontade imensa de doca- lo, mas sua ultima experiência não lhe foi muito agradável, mas era tão hipnotizante, - só um pouquinho pensou Unite, só vai doer um pouquinho. Até que uma mão freia tocou seus cabelos, o que fez Unite virar para traz rapidamente

Novas opções:


- Mais que reflexo garoto- disse um senhor com cabelos repicados, parecia ter sido cortado por laminas de vento, alem de terem um branco especial, era quase cor de gelo, seus olhos, eram vermelhos da cor do fogo e ele usava uma capa preta, com algumas pedras no final, e sua mão direita segurava uma espécie de cajado.
-Ãm, me desculpe mais quem é o senhor- Perguntou Unite.
-Ah, me desculpe, mas que falta de educação a minha, sou Koin, Koin Hearnet um arquimigo.- respondeu o senhor.
-Arquimago como assim?
-Os arquimagos são filhos dos elementos, e como filhos herdam alguns poderes heheeh- respondeu o arquimago, com uma ponta de ironia.
-Não itendi.
-Funciona assim, os arquimagos podem manunciar os 5 elementos.
-Pera, mais não são quatro- Interrompeu Unite contando nos dedos os elementos que conheciam.
-Sim, são 4 elementos; Fogo, Água, Terra, Ar. Mas quando se torna um “filho” dos elementos, aprende- se a dominar o espírito.
-Nossa mais que legal- disse Unite.
- Por que você não se torna um mago?- Exclamou o velho arquimago
-Ah não sei bem o que quero ser, estava pensando em ser um noviço.
-Noviço ahuahuahuahuahuahuahu-comessou a gargalhar o velho- O que pretende conseguir como noviço, os noviços são fracos, são como poções ambulantes.
-Me desculpe, mais você não tem o direito de insultar os sacerdotes, nem noviços.

E então Unite se levanta, e vai até onde a sacerdotisa este.

-Ei, vamos?- Perguntou Unite
-Sim já aluguei o quarto, vamos subir,
Então Unite subiu as escadas rapidamente.
- Ei qual é o quarto?-gritou Unite
-211- Respondeu a sacerdotisa
Unite então correu ate o quarto 211, e esperou até que a sacerdotisa chegasse lá.
-Ei Unite o que houve- Perguntou ela enquanto abria a porta.
-Não foi nada naum.
-Tá bem, mais vai toma um banho, e vista essa roupa- Disse ela enquanto entrava no quarto e jogava roupa sobre a cama.

Unite então foi para o banho, tomou uma rapidamente, já que não era muito acostumado com água....
Logo em seguida se trocou e entrou no quarto, a sacerdotisa já estava deitada, Unite para não fazer barulho foi bem devagarzinho até sua cama e se deitou.

-Ei, você está acordada?!
-Sim estou- respondeu ela
-Posso ti fazer uma pergunta?
-Acabou de fazer, estou brincando, pode fazer sim, mas não demore amanhã seu dia será longo...
-Errrr, qual é seu nome?
-HUAHUAHUAH, achei que não ia perguntar, eu mi chamo.



(no próximo capitulo o nome da misteriosa sacerdotisa e qual será o sonho de Unite, será a revelação de sua classe, vamos aguardar até segunda..)















Coincidência ou destino?



-Eu mi chamo Kitty.

Unite ficou pasmo na hora, não conseguia se mexer ficou totalmente perdido em seus pensamentos.
Aquele nome, aqueles cabelos loiros, aqueles olhos azuis, será possível, não, Unite viu a espada perfurando o peito dela, não podia ser ela, ou podia?

-Es, es, es, este era o nome da minha mamãe- Gaguejou Unite
-Nossa mais que coincidência, ela também era bonita assim- Se gabou Kitty
- Vocês são exatamente iguais, mesmo cabelo, mesma cor de olhos, apenas seu nariz é diferente, ele é igual ao do papai, mas sua pele é suave como a dela, mas só agora percebi.
-Nossa Unite, pare de falar besteira, talvez seja só uma grande coincidência, você já não disse que sua mãe morreu?- Kitty fala meio que indignada.
-Não, eu não disse que ela morreu, como você sabe?- Disse Unite alterando seu tom de voz.
-Oras eu deduzi, você estava só na rua, vivia chorando quando falava de seus pais, então entendi que eles morreram.

Unite então abaixou a cabeça, aquilo não era normal, quem era aquela mulher, está certo que ela o estava ajudando, mas estava tudo muito estranho.

-Está bem então, boa noite, errrr, Kitty- Disse Unite meio que inconformado com aquela explicação.
-Boa noite pequeno Unite, e olhe, muitas vezes os sonhos revelam o que nossos coração gritam, mais a mente abafa, quem sabe seu sonho não revele sua classe.

Unite então se virou e fechou os olhos, demorou muito para que ele dormisse afinal aquela historia não lhe saia da cabeça, mas após longas 2 horas rolando na cama, ele conseguiu dormir.

O coração grita mais alto



Estava frio, aquele vento que cortava até a alma, os trovões estrondavam, aquela chuva gelada, parecia que os Deuses estavam furiosos, Unite corria contra o vento até que achou uma casa, aquela casa o lembrava algo. Aquela era a casa de Unite ao ver aquilo ele correu, mesmo tropeçando naqueles troncos secos, caindo e se sujando de lama, ele queria chegar lá, ele teria sua vida de volta, até que então ele conseguiu chegar lá, se aproximou da janela, e viu a lareira estava acesa, tinha alguém em casa, espera, aquela era sua mãe colocando mais lenha. O coração de Unite começou a acelerar, sua mãe estava viva, espera não era somente sua mãe, do lado dela estava Kek, a doce Kek também estava viva, aqueles cabelos verdes, o avental sempre tão branco, Unite ainda podia lembrar-se do cheiro dela, era um cheiro tão bom, cheirava á uma mistura de flores, era com aquele cheiro que Unite dormia todos os dias, mais ainda faltava alguém, faltava o pai de Unite, cadê Angow.

-Querida, como está às coisas por ai- Gritou uma voz masculina.

Será aquela voz era a de Angow, era sim, Unite se lembrava daquela voz, ele sempre contava historias de grandes alquimistas para Unite dormir, era sim, era ele.
Mas espera quem era aquele menino, era Unite?
O que está acontecendo, Unite estava se vendo, agora estava claro, aquilo não era real, era apenas um sonho, Unite, então abaixou a cabeça, suas lagrimas escorriam pelo seu rosto até tocarem o chão, Unite já estava cansado de sempre ter esses sonhos, e o pior é que ele sempre acreditava, então ele sentou no chão molhado, encolheu seus joelhos até perto de seu rosto, e começou a pensar- Como posso ser tão idiota a ponto de cair toda vez nesse mesmo sonho, por que eu me torturo tanto, isso já acabou.
Só que então do nada, ele ouve uma porta se abrindo, aquilo não era normal.

-Ei garoto, entre, está frio- gritou uma voz bem fininha, era a de kek.

Unite então se virou, era realmente kek, ele então se levantou e correu, ele não se importava de tudo aquilo ser um sonho não se importava daquilo não ser real, ele apenas queria dar um abraço em sua família, era isso que importava.

-Ei menino, por favor, limpe os pés-Disse Kek

Então Unite pensou- Aquele era bem o jeito de Kek, ela não tinha mudado, ou pelo menos em sua mente não.
-Ei qual é o seu nome?- perguntou uma voz suave, era a voz de sua mãe, fazia tempo que ele não a ouvia.
-Err, eu me chamo Fred- respondeu Unite, ele não queria estragar aquele momento.

E então veio um menininho muito brincalhão e alegre, vivia pulando em volta dele, e perguntava sem parar-

-Ei menino, menino, o que você vai ser quando crescer, em, em- Mas aquela criança era muito animada, muito diferente do Unite atual, que foi obrigado a mudar.
-Hmm, não sei o que quero ser naum- respondeu Fred, ou melhor, Unite atual.
-Ahhhhh, eu vou ser um cavaleiro, que nem meu avô era, só que ele morreu nas cruzadas- Dizia o menino muito rapidamente
-Ei Unite, pare de correr em volta do convidado. - Dizia Angow

Unite então se a fasto e sentou na poltrona perto da lareira, aquele era o lugar que ele mais gostava.

-E então Fred, o que fazia nessa chuva- Perguntava Kitty, aquela voz, mais que saudade
-É que me perdi....
-Nossa, e seus pais, onde estão?
-Eles morreram- respondeu Fred(Unite).
-Nossa mais que trágico, não se preocupe, nos cuidaremos de você.- Dizia o pai de Unite
-Ebaaaaa, eu vou ter um irmão mais veioooooo- gritou o pequeno Unite.

Fred então abriu um longo sorriso.

-Amor não estou me sentindo bem...- Ela colocou a mão na barriga.
-Ei garoto me ajude aqui.

Então Fred e Angow levaram a linda suma- sacerdotisa até o quarto.

-Acho que vai nascer...

-Bater em retirada- gritou Kek

Então ela apareceu na cozinha e voltou correndo com panos, cobertores e água...

Então depois de um pequeno tempo, ouve- se um choro. Os olhos de Fred brilharam, era uma menina, nasceu carequinha, mais seus olhos brilhavam, era azul, e refletia a lua cheia. Só que depois de um pequeno tempo ouve- se a janela quebrando, era aquele maldito cavaleiro negro, dessa vez Fred(Unite) iria matá-lo.



Uma segunda chance


0 cavaleiro das trevas pula para dentro do quarto, e rapidamente Angow vira e grita para sua esposa:

-Amor prepare um exorcismo rápido- Gritou o pai de Unite
-SIM, MAS SO TENHO 1 GEMA, NÃO PODE FALHAR
-TÁ BEM, RAPIDO, KEK CUIDE DO BEBE
E então Kitty começa a organizar o exorcismo, enquanto Angow fazia um circulo de fogo grego, impedindo que o Cavaleiro atacasse, até que chega um momento na qual as poções acabam
-Ah meu Deus, os fogos gregos acabaram- gritou Angow

E então Kitty se vira para ver o que estava havendo.

-Não fique ai, e continue o exorcismo- gritou Fred- Dessa vez eu farei algo- e então as mãos de Fred(unite) começam a tremer, ele quase que levitou, e então em suas mãos apareceu uma espada branca, feita de luz, e em uma pequena explosão apareceu uma armadura em seu corpo- Será que Unite teria virado um cavaleiro, seria esse seu destino.

Unite ainda meio assustado, com toda aquela ação, tenta correr, em um salto ele ergue sua espada, e em direção ao ombro do cavaleiro ele a desce com toda sua força.
E então quebra a armadura do tão misterioso cavaleiro negro.O que faz com que tal armadura vire uma fumaça negra,

-HEHEH, pobre menino, esta armadura é feita com os espíritos dos piores e mais sómbrios seres, pode quebrá-la, mas logo em seguida ela se reconstrói, por que eu sou feito disso da pura maldade, e o que não falta nesse mundo, é o mal...- disse ele gargalhando- Jamais serei destruído.

Todos na sala estavam pasmos

-Kitty, continue com o exorcismo, eu irei matá-lo, Angow vá e cuide da bebe, deixe o comigo, isto é um trabalho meu este é meu destino ser um cavaleiro do bem.

Unite então se levanta, coloca sua espada sobre o ombro, e a desce verticalmente, cortando a cabeça do cavalo negro, mas que logo em seguida se reconstrói Kitty continua com o exorcismo, e Angow corre para perto de sua filha.
Então Unite fecha os olhos, levanta sua espada aos céus e diz baixinho.
-Deus, ajuda- me a vingar a morte de meus pais- E logo em seguida desce a espada, o que corta o cavaleiro no meio e não adianta nada, pois logo em seguida ele se reconstrói.
-Unite, está quase pronto- Gritou Kitty

Unite então na hora que vai jogar o cavaleiro no circulo, sua espada some de suas mãos, sua armadura evapora, e então uma luz o envolve, um manto cai sobre seu corpo, um cajado em forma de cruz aparece cravado no solo
-Unite, não adianta querer matar o mal, com seu mal, mate- o com os poderes divinos, vingue seus pais- Sussurrou uma voz no ouvido de Fred(Unite).

E então Unite já não entendia nada, só sabia que iria vingar seus pais, ele pegou o cajado, e o jogou para o alto e gritou, Esconjurar, o cavaleiro não morreu, mais foi para traz, o que lhe fez entrar no circo de Kitty.

-Magnuns Exorcismuns- Gritou Kitty, o que fez com que uma cruz aparece- se e bani se tal figura maligna para as profundezas.



Unite então acorda todo suado, completamente assustado, e vê Kitty, sentada sobre a cama com varias gemas rodando em volta dela, 2 amarelas, duas azuis e duas vermelhas.

-Nossa mais que sonho, ei Kitty oq eu está fazendo?

Kytty então abre os olhos o que faz as gemas caírem.

-Ah, estava apenas rezando para seu sucesso, mais e então seus sonhos lhe disseram algo?
-Para ser sincero acordei mais confuso do que quando estava dormindo.
-Está certo, mais ande temos que ir par a ilha, que daqui 1 hora o barco partirá.

Unite então foi para o banheiro, entrou na banheira e ficou pensando- Será que se EU realmente fosse um sacerdote poderia ter salvado minha família, ou se ele fosse um cavaleiro, as coisas poderiam ter sido diferentes?

-Unite anda, temos que ir-Gritou kitty já arrumando as camas.

Então Unite terminou rapidamente seu banho e vestiu o uniforme penteou o cabelo e voltou para o quarto.

-Olha só como ele está lindo- Disse Kitty- Mais ande, que temos que ir logo- então ela pegou um gema colocou sobre o chão e gritou
-Portal, Alberta.

Unite já sabia, então apenas pisou no portal e foi parar no gás de Alberta, seguido por Kitty.

-Ei aquele é seu barco, entregue este bilhete para o capitão, e vá, e que os Deuses lhe protejam- Disse Kitty se despedindo.
-Você não vem?- Perguntou Unite com uma carinha manhosa.
- Ah, NÃO FAZ ESSA CARA, JÁ SOU UMA SACERDOTISA, NESTA ILHA SO ENTRA APRENDIZES.

Unite então deu um apertado abraço nela, e sentiu um cheiro bom, era o mesmo cheiro que sua mãe tinha,isso ainda era muito estranho.
Logo em seguida correu para o barco, pois não queria deixar que Kitty vice ele chorando.


(próximo capitulo já já, a ilha dos aprendizes pode guardar varias armadilhas e amigos...)
avatar
Unite
Noob !! Participa mais do fórum...

Mensagens : 13
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 23
Localização : Porinlandia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Admin em Sex Jun 11, 2010 1:36 pm

Ae Unite ^^.

Primeiro usuário a postar a fic.

Beleza cara!!! afro lol!
avatar
Admin
Transclasse -99/70 Aews !!
Transclasse -99/70 Aews !!

Mensagens : 149
Data de inscrição : 27/05/2010
Idade : 31
Localização : Recife

Ficha do personagem
Habilidade Inicial: 10
Nível de Magia: 12
Pontos de vida: 18

Ver perfil do usuário http://lendasdemidgard.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Unite em Sex Jun 11, 2010 8:11 pm

Hehehe, não apenas o primeiro a postar a fic, mais também o primeiro(sem ser o mod) a entrar no forum, agora so falta o adm ler e dizer o que axo =) lol!
avatar
Unite
Noob !! Participa mais do fórum...

Mensagens : 13
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 23
Localização : Porinlandia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ola

Mensagem por sszzaas em Qui Jun 17, 2010 10:12 pm

Unite *-* , eu continuo achando que a sacerdotiza e a mae do unite ^^, ela é ? confused
avatar
sszzaas
Noob !! Participa mais do fórum...

Mensagens : 9
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 27
Localização : PE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Julia

Mensagem por Enryuu em Sex Jun 18, 2010 9:56 pm

Julia, realmente é um mistério, mas vamos esperar o Unite postar os próximos capitulos, né unite Mad e veremos o desenrolar
da história xD lol!
avatar
Enryuu
Um mero arruaceiro...
Um mero arruaceiro...

Mensagens : 51
Data de inscrição : 16/06/2010
Idade : 24
Localização : Japão - Província de Oyakata

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Unite em Dom Jun 20, 2010 6:20 pm

Ah enryuu eu até postaria, se o pessoal comentace e pá, mais as pessoas so leem, n comentam não criticam, poxa da até um disanimu =( Sad
avatar
Unite
Noob !! Participa mais do fórum...

Mensagens : 13
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 23
Localização : Porinlandia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Unite em Qui Jun 24, 2010 7:52 pm

A caminho do desconhecido



Unite entrega o bilhete para o homem que esperava pelos jovens aprendizes na entrada do barco.
-Seja bem vindo- disse o homem.

Unite então continua a andar, estava querendo conhecer melhor o barco, ele era grande, e meio velho, talvez nem agüentasse uma tempestade, mais era a única opção que Unite tinha, e não podia reclamar.
Era a primeira vez que viajara de barco, apesar de morar em Alberta dês que nasceu, nunca tinha entrado em um barco em sua vida, talvez nem soubesse como funcionaria.
Mais Unite não era o único naquele barco, existiam outros jovens, todos de famílias ricas, ou pelo menos estáveis, diferente da vida que levará.

-Qual é seu nome? O que vai ser? Já sabe em que campo quer treinar? Qual sua cidade? Quantos anos tem? O que seus pais são?- eram as perguntas que se ouvia em qualquer lugar, mais parecia que já conheciam Unite, já que ninguém se aproximou dele, nem se quer para saber seu nome, Unite se sentia profundamente ofendido, a final, todos ali eram iguais, todos eram aprendizes, independente de sua renda ou moradia, ninguém ali passava de um jovem e fraco aprendiz, a não ser por um certo homem, que não parecia ter nem um pouco 12 ou 15 anos, que era a média de idade daquele barco. Aquele homem lembrava um pescador, usava sandálias de couro, bermudas cáqui , e uma camiseta branca regata. Sua pele tinha um bronzeado escuro, e suas mãos eram marcadas por velhas cicatrizes, como as de um velho pescador. O cabelo era preto, seu rosto tinha um ar taciturno, que lhe dava a impressão de ser bastante encrenqueiro. Mas os seus olhos verde-mar, rodeados por rugas, que diziam que ele ria muito.
Unite, continuou a observa- lo procurando encontrar mais detalhes, até o momento que o homem vira o rosto e leva seu olhar em encontro ao do jovem rapaz, rapidamente Unite desviou seu olhar, a ultima coisa que o jovem menino queria eram brigas.

-Oi- se ouviu uma voz mais ao fundo, o que fez Unite se levantar, e virar- se para traz.
-Olá- Unite respondeu com uma voz rouca.
-Prazer sou Enryuu- Aquele jovem parecia ser bastante amigável, apesar de uma aparência meio diferente, seu cabelo era loiro encaracolado, sua pele era meio morena, talvez porque aquele, jovem passava muito tempo em baixo do sol e também tinha algo diferente neste menino, ele era metade bode, e metade homem, que dizer, suas pernas eram peludas e no lugar de pés ele tinha cascos, e além de tudo tinha pequenos chifres em sua cabeça já seus olhos eram de um castanho escuro, que parecia refletir a dor, a mesma dor, que Unite sofria, a dor de VINGANÇA, mais o sorriso que estampava seu rosto, não expressava tal sentimento, pelo contrario, o escondia muito bem, diferente de Unite.
-Prazer, me chamo Unite como andas?
-Com as pernas oras!- Aquilo fez com que Unite levantasse uma de suas sobrancelhas, ou aquele menino estava som bando de sua cara, ou era estranho!
-Não, me refiro como você está!
-Ahh, me perdoe, é que de onde eu vim, não usamos palavras vulgares, ou sem sentido como essas!- Uniti ficou vermelho na hora, aquele menino estava chamando de burro?
-De onde você vem?
-Ah, você não deve conhecer, é um lugar meio longe de Alberta
-Me conte quem sabe eu não conheça.
-Vim de Einbroche
-Hmmm, realmente não conheço.
-É, ninguém desse barco conhece, a final, aquele seria o ultimo lugar que qualquer pessoa com meio cérebro iria!
-Nossa, é tão ruim assim?
-Não não, talvez um pouco pior!
Unite ficou meio constrangido, por mais que ele tenha sofresse em Alberta, nunca a odiou tanto assim.
Após um pequeno silencio Enryuu com sua voz meio tremula, parecia que estava tentando mudar de assunto, talvez por que aquele o trazia péssimas recordações.
-E então, quantos anos você tem?
-Tenho 10 anos- Disse Unite fechando seus olhos, ficando com a cara de um perfeito mima dinho- E você?
-Eu tenho 15, mais você não é muito novo para estar aqui?
-Hehehehehe, posso parecer novo e fraco mais minha alma é grande e forte!
-Hmm, nada modesto, mais pode deixar, se algum grandão te ameaçar eu te protegerei!
-Hehehe, ótimo tenho um protetor, e o que meu protetor pretende ser!?
-Em questão da classe, estou meio indeciso, pois minha família tem a tradição de sempre estar seguindo a música, protegendo as florestas e os animais, e o mais importante é, se manter o trabalho e ser um ótimo satiro, e assim poder ganhar um lugar ao lado dos Deuses, e é lógico, manter a vida de seu protegido sempre a salva.

Espera, será que ele realmente estava falando sério em relação a proteger Unite?

-Mais, eu não queria ser igual aos meus ancestrais, não quero dedicar a vida a penas a isso, quero poder ser mais que isso, quero poder lutar com armas de verdade, quero poder derramar o sangue pelo bem, melhor, não quero ser um satiro igual aos outros, não quero morrer em pro de um protegido!
-Ahhh,e o que te impede de seguir sua vontade, de ser outra classe?- Perguntou Unite, já sabendo o que era obvio!
-Não sei se percebeu, mais sou metade bode, e assim não consigo manter uma postura de guerreiro!
-Ah ta, então vira um caçador!
-Qual a parte de “proteger a florestas e os animais” você não entendeu!
-Uê mais isso não é o trabalho dos músicos?
- É, realmente acho que você não entendeu, os satiros se tornar bardos para poderes aperfeiçoar suas técnicas naturais, eu já tenho dês que nasci a obrigação de proteger animais e a florestas, mais como bardo isso se torna mais fácil, quer dizer, a partir da musica eu posso ligar os seres humanos com os animais, deu para entender?
-Mais ou menos =[
-Hmmm, espera, vou tentar explicar de um jeito mais fácil; você consegui falar com um urso?
-Nem tentaria?!
-Então a partir da musica de um satiro, é possível um ser humano se comunicar com um animal, pois a musica torna a linguagem dos ambos uma só. Conseguiu entender?

Unite balançou a cabeça em sinal de afirmação, mais na realidade não entendeu foi nada.


Atenção todos tripulantes, o barco irá a traçar em 10 minutos na ilha dos aprendizes, por favor, peguem todos seus matérias, atenção recolham todos seus materiais, o barco não se responsabilizará por perca ou roubo dos mesmos.

-E você Unite o que pretende ser?
-Ah sabe Enryuu, eu estou meio indeciso em relação à classe, pois eu tive uma historia difícil, meus pais foram mortos quando eu era muito criança, minha irmã foi seqüestrada, e eu tenho que resgata - lá, me sinto na obrigação de ser forte, mais tenho tido alguns sonhos, mais esses sonhos me deixam cada vez mais confuso.
-Ah, fique calmo Unite, na ilha dos aprendizes antes de você se escolher qualquer classe, você pode fazer um teste, ai então, eles dizem, a classe mais apropriada para você, ai você pode escolher em se tornar ela, ou tentar sua própria classe, meus pais disseram, que nesta hora é bom você fechar os olhos e não pensar, apenas seguir seu coração, pois o destino já está selado, é lógico que você pode mudar, se seguir a penas seu coração!
-Nossa Enryuu, pode deixar que irei fazer isso!

E então se ouvi um barulho e um pequeno impacto faz o barco tremer, em fim aviam chegado a ilha dos aprendizes!


Novas amizades, novos caminhos!


Todos os aprendizes desceram correndo, um atropelando o outro, alguns até usavam o escudo para se defender da multidão, outros corriam ou eram levados, Unite era o menor de todos, levo vários ombreadas, vários escudos na cabeça.

-Bate na mãe e vê se ela gosta miserável !!!- Gritou Unite impaciente
-Calma Unite, se você ficar nervoso, só irá arrumar inimigos, vá com calma e deixe eles se matarem.

Depois de alguns passos, se viu uma mulher loira, seus cabelos não passavam dos ombros, seus olhos eram azuis como o céu, e sua roupa, pareciam um tanto pesada.

-Atenção seus vermes, ninguém está aqui para brincar, me ouçam com atenção, pois não irei repetir nenhuma só palavra! Entenderam?
-Sim- disse todos os aprendizes, meio que com medo, pois não sabiam se estavam num campo de guerra, ou conversando com uma doce menina loira de olhos azuis
-Sim o que?!- gritou de novo
-Sim, entendemos
-Ai meus deuses, esses aqui são difíceis- pensou a mulher q todos já cochichavam parecer com um javali- Sim senhora entenderam, repitam, SIM SENHORA!- Gritou a “javali” com uma veia pulando de seu pescoço.
-Sim senhora! Sim senhora! Sim senhora, entendemos- respondeu o coral, repetidas vezes.
-Bom vocês estão aqui por o único motivo, se tornarem fortes, então já aviso, aqui ninguém é via ser mãe de vocês, ninguém irá proteger vocês, aqui é matar ou matar, e não queiram descobrir a outra opção, pois guando descobrirem seus cérebros já estarão no chão, e se tiver alguém aqui que estiver com medo e queira desistir, por favor volte ao barco!

Ninguém se moveu

-Pessoal, alguém quer desistir, desistir, não é ser covarde, é apenas admitir que ainda não se está pronto para o desafio, quem sair poderá voltar no próximo verão, e ninguém irá zombar da cara de ninguém aqui! Não se esqueçam que a ilha é repleta por figuras das sombras, monstros que não se importam de cortar a cabeça de você e comerem suas entranhas!

Unite ficou meio indeciso, será que ele estava realmente pronto para isso!
-O que acho Enryuu, devemos desistir, será que estamos prontos?
-Você já nasceu pronto Unite, mais o decidir irá te respeitar e irei com você.

Unite pensou um pouco, e decidiu ficar, pois se lembrou de sua irmã, e a imaginou trancada em uma torre, passando fome e sofrendo a cada dia a espera de alguém para salva- lá.

-Ultima oportunidade, ninguém vai sair!?

Então se passou um pequeno tempo em silencio, e a multidão de aprendizes passou a se diminuir de 50 para 40, de 40 para 35, de 35 para 25, de 25 para 17.
E então quando entraram todos 33 aprendizes no barco, se acomodaram, e alguns estavam até chorando, os barcos partiu.

-Bom pessoal parabéns, vocês passaram no primeiro teste de vocês, resistiram a pressão e é assim que um guerreiro deve se portar, nunca desistir de ante um desafio!
Bom, eu não me apresentei mais me chamo Júlia, e estou aqui para ajudá-los no que precisarem, se alguém tiver alguma duvida, por favo, levante a mão, eu explicarei de novo, bom o campo de treinamento é dividido em três área, um onde se contem porings, drops, lunáticos e outros monstros fracos, o segundo já é meio intermediário, contem algumas aves, picks, fabre e outros, já o terceiro contem esporos, insetos fêmea e outros, cada campo é adaptado para uma classe, afinal imagino que vocês já tenham algo em mente.

- Como assim- uma pequena menina levantou a mão e perguntou.
-Qual seu nome criança, por favor?
-Eu me chamo Kady,e vou ser a mais forte daqui, anotem o eu digo!
-Bom Kady, imagino que todos já conheçam as classes, alguém não conhece?
Três garotos levantaram as mãos!
-Bom são: Mago
Noviço
Arqueiro
Espadachim
Gatuno
Mercador(comerciante)

- E existem as espandidas, mais para te-las é necessário ter um grande domínio espiritual...
Alguém não sabe o que vai ser?

Unite levanta a mão

-Bom garoto o que você tem em mente,,,
- Bom, eu estava pensando em duas classes noviças ou espadachim
-Por que não junta os dois, e se torna um templário?

Unite, já via lido sobre os templários, são aqueles que lutam para o bem, sua espada é forjada pelo espírito dos Deuses Afrodite e Hefesto, a deusas do amor com seu marido o deus da forja!

-Sim é uma boa idéia, mais ainda não tenho certeza- Exclamou Unite.
-Sim, então pensse nisso mais para frente, bem Kady, é o seguinte, cada classe, para ter sucesso tem q ter seu treinamento, um arqueiro precisa treinar sua dextresa e sua mira, esse treinamento requer muito esforço, já um espadachim precisa treinar sua força bruta, assim como um gatuno, já um noviço e um mago tem que treinar seus espírito e sua mente, alcançado a partir de meditações, treinamento constante e de estudos!
Para alguém q precisa treinar a mente eu indicaria o primeiro campo, para alguém q pecisa treinar sua destreza indicaria o segundo, já para alguém que precisa de força e agilidade indicaria o terceiro, alguma duvida.

Ninguém levantou a mão

-Bom então peguem isso, via ajudar bastante!
Então Julia jogou algumas poções pequenos frascos, poucos sabiam para o que servia....
E logo, todos terem pego seus frasquinho vermelhos escritos “poção de curaa”, seguiram em frente, passando por uma ponte, e entrando em um castelo onde tinha dois caras bem grandes, e um atrás deles.

- Olá crianças, vejo que passaram pela Júlia, parabéns, aqui eu do a chance de vocês poderem ir treinar nos campos do mundo de Midgard, ou permanecerem aqui, pois todos já estão prontos para suas classe,só falta o treinamento, por favor quem quiser ir para o campo assine este livro, quem quiser ir direto para a cidade, pegue o portal a minha direita.

O numero de 17 se reduziu apenas para 13, todos pareciam estar com pressa.

-Nossa Enryuu, a partir de agora as coisas irão ficar complicadas, vamos lá!- Dise Unite aguardando na fila.
- Você não viu nada ehehheh- Disse o menino que estava a traz de Enryuu



No próximo capitulo um ser intrigante se junta a Unite e Enryuu

[i][b]
avatar
Unite
Noob !! Participa mais do fórum...

Mensagens : 13
Data de inscrição : 11/06/2010
Idade : 23
Localização : Porinlandia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Muito bom - Até que enfim *-*

Mensagem por Enryuu em Qui Jun 24, 2010 8:11 pm

Heh, aleluia Unite, finalmente, ficou muito bom, apesar de eu ter ficado surpreso por ser um sátiro, maix fico ótemo continue assim "incentivo!" lol! lol! lol! lol! lol! lol!
avatar
Enryuu
Um mero arruaceiro...
Um mero arruaceiro...

Mensagens : 51
Data de inscrição : 16/06/2010
Idade : 24
Localização : Japão - Província de Oyakata

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tempo de Trevas- O inicio

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum